Você sabia? Ilha do medo - Vitória ES

Imagem: Gazeta Online 
Ao ouvir falar sobre lugares assombrados, misteriosos e abandonados, sua mente viaja para lugares até então desconhecidos (e conhecidos) como o Hospital militar Beelitz na Alemanha ou o famoso acidente nuclear de Chernobil, perto da idade de Pripyat, no norte da Ucrânia Soviética. 
Mas você sabia que no estado do Espirito Santo há um lugar assim? 

A ilha de Pólvora, também conhecida como ilha dos leprosos, Ilha do medo e ilha do diabo, é uma das ilhas que compõem o arquipélago de Vitória, no estado do Espirito Santo, mas o que chama atenção pra essa ilha não são apenas suas ruínas ou sua imagem deserta e sim, que nela havia um hospital. 

Sim, um hospital.


A história se inicia em 1925 durante o governo de Florentino Ávidos, quando a ilha abrigou o Hospital de isolamento da Ilha de Pólvora e anos mais tarde, foi renomeado como Hospital Osvaldo Monteiro, em homenagem a seu primeiro administrador. 



Foi construído como parte da adaptação do Espirito Santo ao regulamento Sanitário Estadual, para tratar hanseníase, lepra, tuberculose e outras doenças contagiosas, afim de reduzir as contaminações. 


O hospital funcionou até a década de 90, quando foi desativado pelo governador Albuíno Cunha de Azeredo 


De acordo com uma das enfermeiras que trabalhava por lá, o hospital passou por diversos períodos, aqueles com mais recursos, quando era mantido e ajudado com verba do presidente dos EUA, John F. Kennedy, e com menos recursos, quando apenas o sentimento de amor e carinho dos médicos e enfermeiros sustentava os tratamentos. 

Ao que se sabe, muitos corpos saiam de lá e não há muitos registros sobre a ilha ou as instalações do Hospital, após a desativação, os funcionários foram realocados, mas e os pacientes? Não se sabe

O local está em ruínas e só é possível o acesso a barco, que não é tão difícil. Hoje, é usado para receber turistas e praticantes de AirSoft, não indicado ir sozinho.

Reza a lenda, que ao entrar no local, se pode ouvir sons, murmúrios e vozes, já que muitas pessoas faleceram por lá. Existem também relatos de aparição fantasma e o local ainda possui desenhos estranhos nas paredes. 

E então? Arrisca uma visitinha? 


Imagem: Emília Amorim
Imagem: Emília Amorim


Imagem: Emília Amorim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Uma Jornada Com Café - 2018 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo