Resenha #2 - Dark House

Dark House
de Karina Halle



Sinopse: Há sempre algo fora do normal em Perry Palomina. Embora ela esteja vivendo uma crise ao passar pela síndrome pós-faculdade, assim como qualquer garota de vinte e poucos anos, ela não é o que chamaríamos de comum .Perry possui um passado que prefere ignorar, e há também o fato de que ela consegue ver fantasmas. Tudo isso vem a calhar quando se depara com Dex Foray, um excêntrico produtor que está trabalhando em um webcast sobre caçadores de fantasmas. Dex, que se revela um enigma enlouquecedor, arrasta Perry para um mundo que a seduz e ameaça sua vida. O farol de seu tio é pano de fundo de um mistério terrível, que ameaça a sanidade da moça e faz com que ela se apaixone por um homem que, como o mais perigoso dos fantasmas, pode não ser o que parece.

A primeira vez que bati o olho nesse livro, foi encanto total. Dizem que não se pode ver um
livro pela capa, mas essa te dá uma vontade tremenda de levar para casa e descobrir seus segredos, ela que instiga a leitura e faz todo sentido ao final do livro.  Uma coisa bem legal, é que eles tiveram uma ideia genial que você pode destacar o marcado, na capa traseira, tenho certeza que as editoras ganham pontos com os leitores quando pensam em detalhes que fazem a diferença.

Perry, a personagem central, é uma jovem formada em Publicidade, com 22 anos, um metro e cinquenta e oito de altura, e um emprego horrível na área, mora com os pais e sua irmã mais nova Ada que tem um blog de moda. Apesar de se formado na área de comunicação, Perry se sente deslocada, tentou ser dublê, aprendeu tiro, mas nada que te levasse a loucura por sua profissão. Porém, há algo incomum, ela vê espíritos desde criança.

Numa certa noite, Perry tem um sonho um pouco mais estranho que o normal, com um farol abandonado, um faroleiro assustador, antigo naufrágio e uma morte. Ela acorda assustada sem entender nada do pesadelo, a deixando bem assustada.
Depois desse sonho, Perry fica com uma sensação estranha, mas sem o porquê, e voltar do almoço, ela nota algo que não tinha visto, que a deixa incomodada. 

“Um sentimento assustador tomou conta de mim. Eu me lembrei do sonho que tive. De repente, me senti inexplicavelmente apavorada.” pag.18.

Para se distraírem Perry e a família vão passar um final de semana na casa do Tio Al, que mora perto da praia. Durante a noite, seus primos a chamam para fazer uma fogueira na praia om outros jovens, apesar de não estar muito contente, ela encontra a aventura que estava procurando.

 É ao se arriscar em uma visita noturna ao antigo (e possivelmente assombrado) farol da propriedade, depois de arrombar e entrar no farol, Perry aos poucos começa ter uma sensação estranha, mas não sabe por que, o que ela sabe é que tem alguma coisa ou alguém ali, é nesse momento que ouve algo estranho e da de cara com um cara dando nela o maior susto (ate em nos leitores) a principio pensa que é um fantasma, mas acaba sendo só um cara com uma câmera, Dex, um homem igualmente estranho e misterioso.
Depois do susto os dois começam a explorar o antigo farol juntos, ambos sentindo que aquele farol escondia mais do que aparentava. Do lado de fora, Ada e os primos de Perry aparecem à procura dela assustando os dois.

“Uma luz se acendeu no corredor (...) A imagem penetrou na minha cabeça e, como peças de um quebra-cabeça, lentamente se encaixou a outra imagem que surgiu na minha lembrança.
Meu sonho. Isso era meu sonho. (...)” pag. 64”

Depois de voltar pra casa, Perry fica se perguntando se o tal Dex Foray realmente era real, mas conforme continua tendo pesadelos horripilantes. Sua irmã com uma gripe ficou incapacitada de publicar em seu blog e pediu para que Perry ficasse responsável pelos próximos dias e sem saber o que postar, ela resolve falar sobre sua aventura no farol abandonado.
Para surpresa de Perry, sua postagem gera muitos comentários e uma ligação de Dex, o cara com a câmera no farol, convidando pra ir lá com ela pra filmarem um piloto pra um novo programa. Mesmo achando estranho Perry aceita e vai com ele para casa do seu Tio Al e para o farol.

 “E agora eu percebia quanto eu queria, precisava disso dele. Esse homem perturbado e medicado que havia entrado na minha vida há poucos dias. Ainda não o conhecia, mas sentia como se não precisasse. Dizem que pessoas que passam por situações extremas juntas desenvolvem um vínculo silencioso. Não importa quão desconfortável fosse sentir que ele era potencialmente um maluco, não importa quão frustrante fosse lidar com ele a cada minuto, não importa quanto eu soubesse que ele iria voltar para Seatle em uma hora, havia uma linha de energia invisível atraindo-me para ele. E de maneira egoista, ingênua, eu esperava que ele sentisse isso também.” – p. 293

Se eu continuar, estaria dando muitos spoilers, e estragaria todo o suspense do livro. Mas posso dizer que do livro deixa um gostinho de quero mais (muito mais), principalmente em relação a um possível (e espero que sim) caso de amor (gente, tão lindos juntos) entre Perry e Dex mas também porque percebemos que juntos eles ainda passarão por maus bocados. O caso do farol tem seu desfecho inesperado e surpreendente, vale muito a pena cada página lida.



O livro é uma série completa- Experimente o terror, mas infelizmente, os outros 8 livros, não foram lançados no Brasil

1. Dark House
2. Red Fox
3. Dead Sky Morning
4. Lying Season
5. On Deamon Wings
6. Into The Hollow
7. Come Alive
8. Ashes To Ashes
9. Dust to Dust


2 comentários:

  1. Uau! Esse livro parece realmente interessante e, depois da sua resenha, deu mais vontade ainda de ler. Gosto de como você escreve, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Amiga por sua causa do gostando de livros de suspense, terror, já quero muito ler HAHA
    Parece ser muito, muito legal.
    Beijos.

    www.jayhanadenardi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© Uma Jornada Com Café - 2018 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo